Produção industrial cai em 14 dos 15 estados pesquisados, aponta IBGE

0
17

No RS, produção industrial caiu 11% no período | Foto: Arquivo / Agência Brasil / CP.
A paralisação dos caminhoneiros, que resultou em bloqueios de estradas por todo o Brasil por 11 dias ao fim de maio, provocou uma queda generalizada na indústria por todo o País. A produção recuou em 14 dos 15 locais pesquisados, na passagem de abril para maio, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Regional, divulgados nesta quarta-feira, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O Estado de São Paulo, maior parque industrial do País, registrou um tombo de 11,4%. Os recuos mais acentuados ocorreram em Mato Grosso (-24,1%), Paraná (-18,4%), Bahia (-15%) e Santa Catarina (-15%). Assim como São Paulo, o Rio Grande do Sul (-11%) também teve perda mais intensa do que a média global da indústria, de -10,9%. As demais quedas ocorreram em Goiás (-10,9%), Minas Gerais (-10,2%), Região Nordeste (-10%), Pernambuco (-8,1%), Rio de Janeiro (-7%), Ceará (-4,9%), Amazonas (-4,1%) e Espírito Santo (-2,3%). O Pará foi o único local com avanço no mês, uma alta de 9,2%, eliminando assim a queda de 8,5% que havia sido observada em abril.

Comparação anual

A paralisação dos caminhoneiros afetou os resultados da indústria também em relação a maio do ano passado. Houve perdas na produção em 12 dos 15 locais pesquisados. Na comparação com igual mês de 2017, a indústria encolheu 6,6% em maio de 2018. Segundo o IBGE, houve contribuição também do efeito-calendário, uma vez que maio de 2018 teve um dia útil a menos do que maio de 2017.
As quedas mais intensas ocorreram em Goiás (-15,7%), Mato Grosso (-14,7%), Bahia (-13,7%), Paraná (-12,0%), Rio Grande do Sul (-10,8%), Região Nordeste (-10,3%), Ceará (-9,7%), Santa Catarina (-8,2%) e Minas Gerais (-7,3%). Os demais recuos foram no Espírito Santo (-5,4%), São Paulo (-4,8%) e Pernambuco (-3,5%). Por outro lado, houve expansão no Pará (6,0%), Amazonas (4,5%) e Rio de Janeiro (0,9%).
Fonte: Correio do Povo

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.