Volume
Redes
Sociais
PUBLICIDADE
Família que teve casa incendiada vai ajudar herói em Santa Rosa
12/01/2018 - 8h28 em Gerais

Após resgatar criança, pedreiro afirmou que fez o que gostaria que fizessem com sua filha | Foto: Felipe Dorneles / Especial / CP.

A família que teve a casa incendiada na tarde dessa quarta-feira, no centro de Santa Rosa, quer ajudar o homem que salvou o menino Richard Padoan Tavares, de sete anos. A auxiliar de escritório Carla Regina Padoan, mãe do menino, conta que saiu de casa para trabalhar e, logo que chegou na empresa, ficou sabendo do incêndio, que começou por volta das 13h20min. O marido, Rosauro dos Santos Tavares, estava em sua empresa de reforma e manutenção de eletrônicos, que fica no andar debaixo da residência. O filho do casal, Richard Padoan Tavares estava no quarto, assistindo televisão.

 

Carla contou que o susto passou e que agora é momento de recomeçar e agradecer ao pedreiro Anderson Rodrigues da Silva, de 25 anos, que resgatou o menino de dentro da casa. “Conversamos várias vezes com ele, e sempre agradecemos muito. É uma dívida eterna”, afirmou a mãe. Ela disse que a família decidiu que vai repassar parte das doações que já estão recebendo da comunidade para Anderson. “Somos uma família humilde, não temos nada, mas ele, menos ainda”. A casa incendiada era alugada.

 

Anderson Rodrigues da Silva revelou que tinha acabado de chegar em uma obra onde trabalha como pedreiro, bem próximo do local do incêndio. “Meu colega me convidou para ir ver o que estava acontecendo, mas não quis ir. Então ele insistiu e eu comecei a correr”, relatou. Ele contou que chegou no local e subiu até a janela, localizada a cerca de 3,5 metros de altura. “Eu me apoiei numa janela mais baixa, e consegui subir. O menino pediu ajuda e chorava, então consegui arrancar parte da grade da janela e pegar ele. Eu fiz o que queria que fizessem com minha filha”, revelou o pedreiro, que tem uma filha de três anos. A criança teve uma queimadura leve na orelha, e chegou a ser internada no Hospital Vida & Saúde, mas passa bem e já foi liberada.

 

O comandante do Corpo de Bombeiros de Santa Rosa, Claudir Mallmann, enaltece a atitude de Anderson, mas orienta que, tecnicamente, a ação não é recomendada. “Ele teve um ato grandiosos, evitou que a criança tivesse maiores problemas ou ainda salvou a vida dela. Mas não recomendamos este tipo de resgate, sem equipamento nem qualificação técnica”, afirmou.

Fonte: Correio do Povo

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!